sábado, 7 de março de 2009

Deu No Jornal CALILA NOTÍCIAS, de Conceição do Coité



(Copiado do jornal on line www.calilanotícias.com) [Removidas as imagens de violência]

03/03/2009 10:56:28
CALILA NOTÍCIAS

População de Sátiro Dias vive com medo

Um novo delegado foi designado para tentar conter a onda de violência que assusta os moradores

Quem vive em Sátiro Dias (BA), vive com medo. "A violência está demais. Um absurdo! Do jeito que está não dá não", reclama uma moça. "É crime, é muito crime em Sátiro Dias", enfatiza um rapaz. "É violência demais", resume outra moça. Todos com medo não quiseram se identificar.

A última ocorrência foi no domingo á noite (01/03) quando um lavrador foi encontrado morto com requinte de crueldade - Esmeraldo Oliveira da Costa, 47 anos, residente na Fazenda Varões, 08 km da sede, foi encontrado morto em uma estrada vicinal, próximo da comunidade onde mora.

Estava semi-nu, com a orelha dilacerada, a princípio por dentada, em um ambiente como houvesse luta corporal e próximo ao corpo, um par de sapatos, outros de sandálias, dois litros de aguardente e uma bicicleta ranger.

As primeiras informações que teria morrido de traumatismo craneano, com um corte a altura do pescoço. Esta confirmação está sendo aguardada pela policia depois dos resultados dos exames efetuados no IML de Alagoinhas.

Para Raimundo Oliveira da Costa, 37 anos, irmão de Esmeraldo Oliveira, conhecido por Lauro, garante que a bicicleta encontrada perto do corpo, não é do irmão. "Ele tem uma monark antiga e toda quebrada, que deixou no bar Antonio de Bela". Não sabe sobre os sapatos e as sandálias.

Lauro saiu de casa ás 15h de domingo, segundo Matilde Oliveira da Costa, 76 anos, mãe da vitima. Na casa de Dona Matilde, morava ela, o filho e um neto. "Quando ele saiu de casa, disse que voltava logo, pois ia trocar a roupa e ir para rua (cidade). Esperei e nada. Escureceu e só hoje (segunda-feira), fiquei sabendo do ocorrido" lamenta.

A aposentada confirmou a informação que a bicicleta de Lauro ficou no Bar de Antonio de Bela, na fazenda Riachão. Disse que a encontrada era do companheiro dele conhecido com Valderino, filho do finado Antonio de Ana, que é primo dele e "eu acredito que não faria mal a meu filho", lamenta mais uma vez.

Dona Matilde garante que "Lauro saiu de sandália, portanto o sapato é do companheiro". Enquanto o repórter Valdemi de Assis conversava com a mãe da vitima, um lavrador que não quis se identificar, afirmava que conversou com a esposa de Valderino e na versão contada pro ele, os dois quando voltavam, para casa sofreram uma tentativa de assalto.

O marido fugiu e Lauro lutou com os ladrões. "Ela disse que depois disso, ele não sabe mais nada".

Procurado, Valdemiro não foi encontrado, pois estava trabalhando em uma roça longe de casa, falou uma vizinha que não viu ele durante o dia.

Até ás 18h de segunda-feira, a delegacia não tinha registrado o fato e a vitima era desconhecida. O corpo foi neclopciado no IML de Alagoinhas e sepultado na terça-feira (03), em Sátiro Dias.

Sátiro Dias, distante 90 km de Conceição do Coité, situa-se no litoral norte baiano, nordeste da micro-região de Alagoinhas, fazendo divisa, ao norte, com Tucano, Nova Soure e Olindina; ao sul, com Água Fria e Inhambupe; ao leste, com Olindina e Inhambupe e a oeste com Biritinga e Araci, sendo que seu principal acesso se dá pela BA-233, que liga a sede do município à BR-110, ao norte de Inhambupe.

A cidade vem vivendo nos últimos meses um clima de muita insegurança, com assaltos, assim como a presença de usuários de drogas.

A comunidade teme o crescimento desenfreado da violência. ‘Temos além do homicidio de domingo, várias histórias de assaltos e agressões que ocorreram nos últimos dias, a exemplo do assalto ao Bar do Sr. José Alves da Costa, residente no Povoado de Jurema, a 10 km da cidade. Esta violência esta acontecendo na zona rural e na zona urbana’, disse a estudante Ana Paula Santos, 22 anos, moradora no povoado de Bela Vista.

Uma equipe do CN, integrada pelo repórter Valdemi de Assis e o fotografo Raimundo Mascarenhas, estiveram segunda-feira (02), na cidade, e encontrou José Alves da Costa, 50 anos, comerciante na comunidade de Jurema, ele estava na delegacia pra prestar queixa do assalto que sofreu e foi atingido por dois tiros.

Contou ao CN que na quinta-feira (26), por volta das 19h, estava com quatro clientes no bar, quando três homens chegaram atirando e anunciando o assalto. "Foi uma verdadeira agonia. Fui logo ferido no braço, os clientes deitaram no chão, os bandidos demonstravam muito nervosos, eles fugiram levando apenas um facão. Insatisfeito, eles voltaram atirar em mim, ferindo na perna", conta o comerciante. " Eram escuros, baixos, média de 27 anos", concluiu Zé Alves.

Município com pouco mais de vinte mil habitantes, cerca de 700 Km². Além da sede, tem dois povoados de médio porto, Mimoso e Bela Vista, ambas com população estimada entre 1.500 a 2000 habitantes, chegou a ter um efetivo de cinco policiais militares diariamente por guarnição, hoje apenas dois, sob o comando do Tenente Lima. Na Policia Civil, além do delegado Luiz Filgeurias, o município tem dois agentes, que revezam plantão a cada sete dias. É comarca de primeira entrância presidida pelo juiz Marcos Vinicius e no ministério público, o promotor substituto João Paulo, titular de Olindina.

Delegado assumiu há trinta dias - Luiz Filgueiras, assumiu a um mês delegacia, vindo de Crisópoles, onde ainda responde até que chegue o substituto, sabia, antes de assumir, a onda de violência que o município estava vivendo, "não ao ponto de ser nada preocupante", disse.

Sabia de alguns furtos, assalto aos idosos no começo do mês, período de pagamento aos aposentados. Ele disse que encontrou alguns registros de ocorrências e estão sendo investigados, inclusive, como base em uma linha de raciocínio, estão sendo identificados e logos serão presos. "São casos que tem haver um com outro e outros, casos isolados", falou Filgueiras.

"Nossa dificuldade é estrutural, falta de policiamento e a população que não colabora com informações" desabafa.

O delegado acredita que possa trabalhar com mais rapidez, pois o juiz Marcos Vinicius que estava afastado por problemas de saúde, retornou as atividades na segunda-feira

(02) e “com relação a alguns pedidos de prisão solicitados pela delegada anterior estão sem analisar e agora acredito que estão na pauta e vão andar”, desabafa.

Cidade não tem muita droga - Com referencia as drogas, o delegado tranqüiliza que não é grande volume. "Existem alguns usuários, desconheço ponto de vendas, mais faremos um trabalho que ela não se alastre", garante.

Dr. Filgueira não descarta a hipóteses destes roubos que estão acontecendo no município tenham, a haver com os usuários de drogas, que roubam para comprar o produto.

Prefeito assumiu o município com muitos problemas - Joaquim Neto (PR) reconhece que recebeu o município com muitos problemas, em todas as áreas. Os carros não funcionavam, um divida assustadora com INSS, escolas necessitando de reformas e a segurança, um problema emergencial. O prefeito vai reformular a guarda municipal, equipando e dando melhores condições de trabalho. Esteve reunido na tarde de segunda-feira com o delegado e esta marcando uma audiência com o secretário de segurança pública para reivindicar o aumento do efetivo, tanto na Policia Militar, quanto a Civil.

"Peço paciência, pois a situação que encontramos a Prefeitura foi desastrosa, mais iremos enfrentar o problema de segurança de frente e sei que vou contar com o Governo", declarou Joaquim.

Por: Valdemí de Assis. Fotos: Raimundo Mascarenhas e Foto Santo Antonio



4 comentários:

Abdon disse...

Olá, nasci em Sátiro Dias, mas moro em São Paulo, porem esto sabendo que a violencia esta infestando a cidade. Eu so tenho que lamentar, a falta de segurança e as mal administrações da cidade contribui muito para esse fato.

Anônimo disse...

o municipio de Sátiro Dias -BA falta tudo nada funciona hospital sem equipamento não tém especialidade medica, O Clinico Geral é quem cuida de tudo.

Tom do Junco disse...

Infelizmente a pacata cidade do arraial do Junco está entrando para o mapa da violência.

Anônimo disse...

Tudo isso acontece na pacata cidade onde o polico só ganha com a miseria do seu povo, A CAMARÁ DE VEREADORES DE SÁTIRO DIAS,DEVERIA MUDAR DE NOME: ORGANIZAÇÃO TABAJARÁ, porque de nada funciona , são pessoas semi analfabetas que não legisla,ou não sabe o significado Legislação,caro satrudiense lamento a maior violênçia é a falta de educação, saúde, Segurança,com o povo, vocês não mereçe essa gente que o representa.