segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

AS REINAÇÕES DE PEDRO MACAQUINHO

Por Cineas Santos



De Pedro Macaquinho


Constatei, com uma pontinha de alívio, que a figura mais “notável” de Campo Formoso, que nem existe mais, não sou eu. Trata-se de um certo Pedro José de Sousa que, por suas reinações, ganhou a adequada alcunha de Pedro Macaquinho. Menino ainda, Pedro se deu conta de que não tinha a menor vocação para puxar cobra para os pés, preso ao rabo de uma enxada. Num descuido da família, azulou no mundo e foi cumprir sua sina. Analfabeto, sem maior qualificação, descobriu que o próprio corpo poderia ser um excelente instrumento. Simples: punha a mão esquerda na cova da axila direita e, movimentando o braço, marcava o ritmo do xote “O Cheiro de Carolina”, sucesso de Luiz Gonzaga. Foi nessa época que o agraciaram com o rótulo Macaquinho.

Excelente ritmista, tornou-se zabumbeiro do Mané Vicente, que ganhava a vida judiando de uma pé-de-bode ranheta. Sempre que o sanfoneiro parava para entornar uma talagada de cana, Macaquinho abarcava a sanfoninha e mandava ver. Acabou aprendendo o mínimo; o mais correu por conta de sua intuição. Tornou-se presença obrigatória em feiras, quermesses, leilões, desobrigas, circos e funções. Sentou praça no Canto do Buriti e se fez showman: canta, dança, improvisa e conta piadas. O público o adora. Mas sua carreira artística tem sido marcada por um problema crônico: só querem pagar ao Macaquinho com cachaça. Dinheiro, que é bom, nada. Como qualquer macaco que se preze, entre uma reinação e outra, o Macaquinho fazia um filho. Família crescendo, dinheiro curto, as coisas se complicaram. Pequeno ainda, os macaquinhos do Macaquinho passaram a ajudá-lo: tornaram-se todos sanfoneiros e ritmistas. Nascia o conjunto “Pedro e seus Macaquinhos”. Um dos garotos, o Walmir, é um sanfoneiro de grandes recursos técnicos.

A parceria com os meninos rendeu alguns frutos, mas a grana continua curta, e o tempo começa a maltratar o nosso bravo macaco. De repente, aquele novelo de encrencas, que atende pelo nome de próstata, começou a incomodá-lo. Pedro teve de diminuir o ritmo de trabalho, fazer tratamento, gastar o que não tinha. A magra aposentadoria que recebe não lhe garante a sobrevivência com um mínimo de dignidade. Foi aí que pintou a ideia de lançar um CD artesanal, mas realizado com cuidado e capricho. O CD traz o instigante título de The best of Pedro Macaquinho, com um punhado de canções, entre elas as clássicas “Delita” e “De madrugada no calor do frio”, uma versão light, já que a original , down, é imprópria para menores de 78 anos de idade. Sucesso absoluto: o CD vende mais que farinha nas feiras do Ceará. Sucesso e encrenca: segundo fui informado pelo sanfoneiro, pelo menos duas lojas de discos de Canto do Buriti clonaram o CD e passaram a vendê-lo sem autorização do Macaquinho, ou seja, furtam-lhe a única coisa que tem para sobreviver. Sem ter a quem recorrer, Pedro veio me pedir ajuda.

Denunciei o fato no programa Feito em Casa e o faço agora nas páginas de O Dia e no blog Onde Canta a Acauã. Se a pirataria continuar, irei ao Canto do Buriti, denunciar os criminosos ao promotor da cidade. Não tenho poderes para ir além. De qualquer forma, tenho o dever de tentar ajudar aquele humilde cidadão que, com sua arte feita de pura intuição, destronou-me do incômodo posto de única “celebridade” de Campo Formoso.

4 comentários:

blogger disse...

Prof Cineas o texto em que o sr. fala deste grande artista, raro de nossa terra, é formidável!Ainda menino, eu no interior de São Raimundo, hoje Dom. Inocêncio, ouvia fala de Pedro Macaquinho, que, segundo dizem, todos na familia tocam sanfona e principalmente a oito baixos em extinção no Brasil.
Admiro quem toca todos instrumentos mas as sanfonas piano, com teclas e a oito baixos tenho um carinho especial
Não sei se papagaio velho aprende falar, mas estou começando tirar uma notinhas na sanfona de oito baixos.
Abraço do seu patrício de S. Raimundo Nonato
Adão de Sousa Lina
Do Piauí/São Paulo

Anônimo disse...

Professor Cineas Santos têm uns videos de Pedro Macaquinho no you tube, pode apreciar,sei que como eu, é admirador de Pedro Macaquinho. estive com ele em Canto do Buriti estew ano.
Abraço Adão Sp
sou seu conterrãneo de o antigo São Raimundo Nonato Piauí

blogger disse...

PROF, ESTIVE COM PEDRO MACAQUINHO EM CANTO DO BURITI, REALMENTE O HOMEM É UM ARTISTA VERDADEIRO, PESSOA MODESTA,MAS FAZ GOSTO UM PAPO COM PEDRO MACAQUINHO, SOU DE DOM INOCÊNCIO TERRA DOS SANFONEIROS, GOSTO DE TUDO QUE O SR. ESCREVE. ABRAÇO ADÃO DE SOUSA LINA
DO PIAUÍ/SP

Anônimo disse...

Olá Peof. Cineas, eu sou de Canto do Buriti cidade do Ilmº Pedro Macaquim, lendo a sua reportagem fiquei muito emocionada, pois o nosso Ilmº Pedro Macaquim faleceu, perdemos um icone da nossa cultura.!