quinta-feira, 9 de junho de 2011

Joaldo Cavalcante* - O Chão de Audálio Dantas

De 4ª Bienal do Livro de Alagoas

– Você está sabendo que Tanque d’Arca vai aparecer na mídia nacional?
– É mesmo? Já não era sem tempo. Finalmente vão fazer justiça àquele pedaço de chão.

A reação bem-humorada é do jornalista Audálio Dantas, ao ser informado por mim que o apresentador global Luciano Huck acabara de aterrissar em sua terra, em companhia do figurinista Alexandre Herchcovitch. O resultado da visita das celebridades irá em breve ao ar.

Mas o pequenino lugarejo, que um dia serviu para os almocreves descansarem à sombra de oitizeiros, tem muito do que se orgulhar, com a importância e o respeito que seu filho ilustre, Audálio Dantas, desfruta no Brasil.

No próximo mês de outubro, Audálio desembarca em Alagoas como patrono da 5ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Entre tantas homenagens recebidas pelo País afora, esta terá sabor especial, pois acontecerá em seu torrão natal. E olha que elas se sucedem pelos Estados brasileiros.

A mais recente vem em forma de artigo escrito por outro honrado alagoano, o jornalista, professor e escritor José Marques de Melo. Pelas páginas da revista Imprensa, discorre acerca da trajetória de Audálio. Assim como outros nordestinos, este enfrentou as adversidades da vida, desbravou caminhos e ocupou seu espaço com dignidade.

Desde a saudosa revista Realidade até a condição de líder dos jornalistas de São Paulo, ao assumir a presidência da categoria numa etapa tenebrosa da ditadura militar, quando, em pleno governo do general Ernesto Geisel, assassinaram covardemente, no calabouço do regime, o jornalista Wladimir Herzog, preso sem processo e morto sob tortura. Agora, prepara narrativa sobre a vida de Herzog.

Audálio conduziu a categoria de maneira corajosa, enfrentando as pressões, mas sem recuar e deixar de protestar. Pela sua conduta, alcançou a presidência da Federação Nacional dos Jornalistas. O povo paulista reconheceu a liderança do alagoano, conferindo-o mandato de deputado federal, que foi cumprido de maneira destacada.

Apesar de distante de suas raízes, nunca perdeu a referência nem o contato com a legião de amigos alagoanos. Os vínculos estão simbolizados na publicação “O chão de Graciliano”, que virou exposição e circulou com sucesso pelo Brasil.

No texto de abertura, faz viagem pelo interior de Alagoas, descrevendo em minúcias as regiões, como o morro do Pão-Sem-Miolo, adjacente à cidade de Viçosa. Faço, portanto, este registro para fazer justiça a tantos filhos da terra que contribuíram ou contribuem para inserir positivamente Alagoas na pauta nacional.

(*) É jornalista.

Nota do Blog: este artigo foi publicado na Gazeta de Alagoas do dia 08 de junho de 2011, e publicado aqui em homenagem ao amigo Audálio Dantas, leitor confesso deste blog e um ser humano justo, idealista e mais humano do que o perdão. A cidade em tela, Tanque d'Arca, fica a menos de cem quilômetros de Maceió e é um tantinho menor do que o arraial do Junco.

2 comentários:

Elton Sipião O Anjo das Letras. disse...

Teria sido bem legal se o motivo da visita do Luciano Huck a essa pequena cidade fosse uma entrevista com o Audálio Dantas, mas esse tipo de coisa não dá ibope e sendo assim não traz contentamento aos patrocinadores globais, não é?Entrevistar uma celebridade que nunca pegou um livro para ler na vida, mas que é famoso traz mais audiência, não é isso?Infelizmente é. Mas felizmente o Brasil não é só feito de pessoas incultas e o Audálio tem recebido como o amigo cronista bem disse em sua bem escrita crônica, homenagens por esse Brasil afora, aquele pedacinho de Brasil que é culto e sabe por isso mesmo reconhecer os grandes escritores jornalistas. Ainda mais um homem que tem essa importância histórica em nossa nação, em um período em que a mordaça era a lei para aqueles que mexiam com literatura, jornalismo e artes nessa nação, falo do período da ditadura militar. Parabéns pela crônica bem escrita, aqui nesse blog só têm cronista fera, bons no que fazem. Abraços literários.

Ibys Maceioh disse...

Olá,meu grande amigo,Tom,
Nós que vivemos nesse Estado não devemos ter surpresa com nada.Tenho um carinho por vc muito grande e um agradecimento muito especial em ter me apresentado Audalio Dantas,simples,um alagoano que quer sempre atender bem um conterraneo,que chega em Sampa esperando uma oportunidade para mostrar à sua musica,ainda feita na aguas do Rio Tapamondé,Porto Calvo.Veja só isso:Um homem com historia que tem,ficou me esperando sob a chuva que caia em Sampa pra entregar o seu livro:O MENINO LULA.Quando saiu eu pensei que êle não tinha autografado o livro,pois tinha compromisso logo depois.Abro meu grande presente e vejo:"Para Ibys Maceioh,artista dos melhores que Alagoas produziu,com os cumprimentos do conterrâneo"Audalio Dantas.Esse,Alagoano de Tanque D'arca, é de uma grande importancia e muita sensibilidade...Vou procurar conhecer Luciano Huck.Obrigado,irmão.Ibys Maceioh.