sábado, 2 de fevereiro de 2013

Três continhos para animar a festa

QUAL SEU LIVRO DE CABECEIRA?

No auge dos concursos de Miss, a candidata deveria responder a uma pergunta crucial:

- Qual seu livro de cabeceira?
- Poliana Moça - respondiam todas, de norte a sul do país. Como, à época, era leitura obrigatória no ensino ginasial, era o único livro que conheciam. Quando a Tevê Tupy adaptou Meu Pé de Laranja Lima para novela, passaram a variar na resposta. Até "O Pequeno Príncipe" já repousou na cabeceira das rainhas e princesas da beleza.

Quando a Barbie do Sertão virou primeira-dama collorida, e que nunca foi uma referência de beleza, o livro O Perfume, de Patrick Suskind, andava em moda entre as dondocas. Perguntada pela repórter da Globo sobre seu livro de cabeceira, ela respondeu escancarando a dentadura postiça:

- O Perfume!
- Sabe o nome do autor?
- Claro que sei. É a Avon!

TUDO POR UMA ENCHENTE

Olhou o negrume do céu e confidenciou à mulher:
- Queria que caisse uma trovoada e matasse todos os cornos dessa cidade!
A mulher olhou para ele com cara de espanto, incrédula. Falou:
- Vira tua boca pra lá, infeliz, que você não sabe nadar!

O AUTÓGRAFO

Machão, arvorou-se no direito de autografar a parte mais íntima da mulher. Ela, contrita, só fez tirar a calcinha, abrir as pernas e suspirar um "seja lá o que Deus quiser!" Três dias depois ele recebeu carta anônima dizendo que "Messias" se escrevia com dois "s" e não com "cê cedilha".

.

Nenhum comentário: